Connect with us

Eleições 2020

Eleições 2020: tire suas dúvidas sobre as eleições municipais

Saiba quais são as datas da eleição municipal em 2020 e as mudanças em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Publicado

dia

Eleições 2020: tire suas dúvidas sobre as eleições municipais
Arte Visual: WMDesign

Neste ano, os brasileiros vão às urnas para eleger seus prefeitos e vereadores. Mas por causa da pandemia do novo coronavírus, o Congresso Nacional decidiu adiar as eleições de outubro para novembro. As novas datas são: primeiro turno em 15 de novembro e segundo turno em 29 de novembro.

A Emenda Constitucional (EC) nº 107/2020, promulgada pelo Congresso Nacional no dia 2 de julho, adiou o primeiro e o segundo turno das Eleições Municipais deste ano, respectivamente, para os dias 15 e 29 de novembro, em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Tire dúvidas sobre as eleições 2020 e saiba as datas, cargos em disputa, como funciona o processo eleitoral, prazos para candidaturas e mais.

Dúvidas sobre as eleições municipais de 2020

Quais são as datas da eleição em 2020?

Após decisão do Congresso, o primeiro turno está marcado para ocorrer no dia 15 de novembro, um domingo. Em caso de segundo turno, os eleitores voltam às urnas no dia 29 de novembro, o último domingo do mês.

Haverá eleição em 2020?

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE



Sim. A realização das eleições foi confirmada pelo Congresso Nacional, que apenas decidiu adiar a data da votação para novembro.

Por que as eleições foram adiadas?

O crescimento dos casos de covid-19 no país, doença provocada pelo novo coronavírus, levou à preocupação de que a aglomeração das pessoas nos locais de votação pudesse facilitar a propagação do vírus. O adiamento em pouco mais de um mês foi pensado para dar mais segurança de que até lá a transmissão do vírus esteja mais branda nas principais regiões do país. O adiamento recebeu o apoio de médicos e pesquisadores em saúde ouvidos pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

E se minha cidade estiver com muitos casos de covid-19 em novembro?

Nos municípios sem condições seguras de saúde em que seja preciso adiar as eleições para além de novembro, há a possibilidade de o pleito ser feito até 27 de dezembro. A Emenda Constitucional aprovada pelo Congresso para alterar a data das eleições prevê que nessa hipótese. Neste caso, o Congresso poderá editar um decreto legislativo com a definição de nova data.

Quais as mudanças no dia da votação?

O TSE estuda adotar medidas para reduzir o risco de contágio entre os eleitores nos dias de votação, como ampliar o horário de funcionamento das seções eleitorais e a distribuição dos eleitores no período, criando um horário prioritário de votação para idosos e pessoas do grupo de risco, como os que possuem doenças preexistentes. A perspectiva é que o tribunal não limite o horário em que pessoas do grupo de risco podem votar, mas recomende períodos de movimento considerado mais tranquilo, como o início da manhã.

Avisos para manter o distanciamento em filas e dentro da seção eleitoral deverão estar por toda parte. É possível que as próprias seções estejam em salas mais espaçadas entre si. O uso de máscaras será obrigatório e nos locais de votação deverá ser oferecido álcool em gel para a higienizar as mãos após o voto.

Para quais cargos são a eleição de 2020?

Para prefeito e vereador.

Como é a eleição no Brasil?

O processo eleitoral no Brasil funciona por voto direto. Nas cidades com menos de 200 mil eleitores, é realizado apenas um turno e ganha quem levar mais votos para prefeito. Já nos municípios com mais de 200 mil eleitores, o candidato vence no primeiro turno se atingir 50% dos votos válidos (sem contar brancos e nulos) mais um voto. Caso contrário, há segundo turno entre os dois primeiros colocados, e o mais votado ganha.

Já os vereadores dependem do número de votos do seu partido. É o chamado quociente eleitoral. Funciona assim: divide-se o número total de votos válidos no município pelo número de vagas na Câmara. O resultado representa o número mínimo de votos que o grupo precisa receber para garantir uma cadeira. Isso faz com que, às vezes, candidatos menos votados de partidos com mais votos entrem, enquanto candidatos mais votados de partidos mais fracos, não.

Até a eleição passada, as coligações valiam também para as eleições proporcionais, mas a legislação foi alterada para diminuir o impacto dos chamados “puxadores de votos”.

Como é a eleição municipal?

Os cidadãos devem votar em um candidato à prefeitura e um candidato para a câmara de vereadores. A disputa para o Executivo pode ter dois turnos. A para o Legislativo, turno único.

Quantos votos são necessários para se eleger?

Depende do cargo e da cidade. O prefeito precisa de maioria simples, que depende do número de eleitores da cidade, enquanto, para a câmara municipal, o cálculo varia de acordo com os números de votos totais, de candidatos, de coligações e da população de cada cidade.

Quando sai o resultado da eleição de 2020?

Os resultados passam a ser divulgados a partir das 17h dos respectivos dias de votação, quando as urnas são fechadas. Geralmente, os resultados saem no mesmo dia. Há a possibilidade ainda de o horário de votação ser estendido para além das 17h, o que adiaria a divulgação do resultado.

Qual o prazo para se candidatar a vereador?

Os pedidos de registro de candidatura a vereador devem ser apresentados pelos partidos políticos aos respectivos juízes eleitorais até 26 de setembro. Cada partido pode registrar, no máximo, uma vez e meia o número de assentos disponíveis na câmara municipal.

Quando começa a campanha?

Os partidos terão até 26 de setembro para registrar seus candidatos na Justiça Eleitoral, e os atos de campanha estão permitidos a partir de 27 de setembro, incluindo a campanha na internet.

As datas do horário eleitoral no rádio e TV deverão ser remarcadas pelo TSE de forma correspondente ao adiamento das eleições. A legislação prevê o início da propaganda gratuita 35 dias antes da antevéspera das eleições. Isso empurraria seu início para 9 de outubro. O TSE deve aprovar em agosto uma resolução oficializando o novo calendário eleitoral.

Fonte: TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Veja Mais
Clique para comentar
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks

Eleições 2020

Juliana Araujo, do PL, é eleita prefeita de Morro do Chapéu

Ela teve 48,44% dos votos dados a todos os candidatos e derrotou Dr. Claudio, que ficou em segundo lugar com 37,17%.

Publicado

dia

Por

Juliana Araujo, do PL, foi eleita, neste domingo (15), prefeita de Morro do Chapéu (BA) para os próximos quatro anos. Ao fim da apuração, Juliana Araujo teve 48,44% dos votos. Foram 9.173 votos no total.

A candidata derrotou Dr. Claudio, que ficou em segundo lugar com 37,17% (7.039 votos).

A eleição em Morro do Chapéu teve 19,56% de abstenção, 1,22% votos brancos e 5,47% votos nulos.

Juliana Araujo tem 39 anos, é casada, tem superior completo e declara ao TSE a ocupação de advogada. Ela tem um patrimônio declarado de R$ 2.079.090,35.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE



O vice é Vitor Araujo, do PDT, que tem 33 anos.

Os dois fazem parte da coligação Um Novo Tempo, formada pelos partidos PL, PDT, DEM, MDB, PODE, PSDB, SOLIDARIEDADE e PTB.

Veja o resultado após o fim da apuração:
Juliana Araujo – PL – 48,44%
Dr. Claudio – PSL – 37,17%
Pró Sheila – PT – 13,99%
Antônia Souto – PATRIOTA – 0,39%

Veja quais foram os vereadores eleitos e maiores bancadas

A cidade de Morro do Chapéu (BA) teve definida na eleição deste domingo (15) a composição da Câmara Municipal para os próximos quatro anos. Os 13 vereadores foram conhecidos após a conclusão da apuração. A lista indica que os partidos que mais conquistaram cadeiras na Câmara de Morro do Chapéu foram o PL, com quatro vereadores eleitos, e o PDT, com três representantes (confira a lista completa abaixo)

  • Denilson (PSB) – 1.016 votos – 5,27%
  • Oldair Ferraz (Avante) – 804 votos – 4,17%
  • Betânia Araújo (Avante) – 747 votos – 3,87%
  • Tarcízio do Tamboril E Pinhões (PDT) – 731 votos – 3,79%
  • Eloy Falcão (PL) – 729 votos – 3,78%
  • Andre Valois (PL) – 702 votos – 3,64%
  • Isabela Rocha (PSL) – 499 votos – 2,59%
  • Gilvan Pedreiro (PP) – 493 votos – 2,56%
  • Ivanete da Verdura (PL) – 490 votos – 2,54%
  • Amauri Silva (PL) – 462 votos – 2,40%
  • Luciano de Duas Barras (PDT) – 424 votos – 2,20%
  • Del (PDT) – 410 votos – 2,13%
  • Luciano Lula (PCdoB) – 404 votos – 2,10%
Este conteúdo foi gerado com dados do TSE pelo sistema de produção automatizada de notícias do WMNEWS

Veja Mais

ARQUIVO WM

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x