Connect with us

Política

Eu, robô?

Usar robôs para disparar mensagens não é difícil. Ao leitor curioso, basta fazer uma pesquisa rápida na internet e concluirá que existe uma dezena de plataformas que oferecem o serviço – empresas usam este serviço para envio em massa de propagandas.

Publicado

dia

Arte Visual: WMDesign

Recentemente, uma universidade paulista usou inteligência artificial para a correção das atividades de estudantes de graduação dos seus cursos [1]. Em termos simples, a universidade usou robôs, em lugar de professores e professoras, para corrigir provas e atribuir notas a seus estudantes. O que, na década de 1960, ocupava cabeças da ficção futurista – como em Eu, Robô e Cérebro Eletrônico [2] –, começa a se transformar em tecnologias presentes em muitos aspectos das nossas vidas. Gil cantava: só eu posso pensar se Deus existe/ […] só eu posso chorar, quando estou triste/ […] eu penso e posso – indicando que consciência, inteligência e ação racionalizada são indissociáveis. Ou seja, máquinas não podem ser inteligentes por que não teriam consciência. Em trabalho recente, o historiador Yuval Harari [3] apresenta excelentes argumentos que apontam para uma quebra do vínculo, aparentemente necessário, entre inteligência e consciência. Ou seja, as máquinas robotizadas, mesmo sem consciência ( característica humana), podem ser inteligentes.

O episódio do uso da inteligência artificial para substituir o trabalho de professores mostra que é possível desenvolver inteligência robotizada: o elemento da inteligência, portanto, prescinde o homo sapiens e a consciência. Diante disso, algumas questões se apresentam de imediato, a saber: quais as consequências futuras desse fenômeno? Os robôs representam uma ameaça ou são aliados dos humanos? Matrix [4] é uma realidade ou uma simulação?

Ainda que a resposta para estas questões não possam ser amplamente debatidas em um ensaio dessa natureza, adotaremos o caso do uso de robôs nas eleições de 2018, para ilustrar uma das consequências negativas do uso da inteligência artificial. O uso de robôs para influenciar resultados eleitorais foi amplamente relatado pela mídia e é objeto de projeto de lei em tramitação no Senado Federal[5].

Na campanha presidencial que elegeu Jair Messias Bolsonaro, o uso de robôs (bots) para divulgar mensagens, de apoio ou depreciativas, foi largamente utilizado – como mostra ampla divulgação dos diversos veículos de imprensa . A título de exemplo, o nome do atual presidente, ainda em campanha, aparece em 276.767 tuítes gerados por robôs, entre 19 e 26 de setembro [6]. Mentiras foram geradas pelo candidato – por exemplo, o “kit gay” – e divulgadas por robôs. O atual presidente e seus aliados, aliás, não pararam de usar robôs para produzir mentiras e apresentar um falso apoio popular. Em estudo recente, a Universidade Federal do Rio de Janeiro e a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo apontaram que 55% das publicações pró-Bolsonaro são feitas por robôs. Recentemente, o próprio presidente fez uso de imagens produzidas por softwares como se fossem de “pessoas reais”.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE



A mim, o uso de robôs em campanhas eleitorais é fonte de grande preocupação. Estamos diante de um novo pleito eleitoral e não sabemos qual será a influência das divulgações de mensagens utilizando robôs. Usar robôs para disparar mensagens não é difícil. Ao leitor curioso, basta fazer uma pesquisa rápida na internet e concluirá que existe uma dezena de plataformas que oferecem o serviço – empresas usam este serviço para envio em massa de propagandas. Embora o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proíba o uso de robôs em campanhas eleitorais, essa prática foi usada e, provavelmente, será repetida por pessoas ou projetos políticos para encaminhar suas ideias.

Por três ocasiões, recebi mensagens em que se propunha uma enquete para futuros candidatos à prefeitura de Morro do Chapéu. Vale destacar que a lei 9504/97 [7], em seu artigo 33, proíbe a realização de enquetes em períodos de campanha eleitoral. Não estamos em campanha eleitoral, ainda. Mas já se percebe o movimento de uso da internet e o compartilhamento massivo de informações que tratam das agendas políticas locais. Não raro, excluem-se nomes que estão em destaque como pré-candidatos à prefeitura de Morro do Chapéu. Por vezes, nomes desconhecidos são incluídos. A suposta “pesquisa” desparece do ar e restam os posts em redes sociais, como se isso indicasse tendências de votos nas eleições 2020.

A nosso ver, ainda que o movimento seja incipiente, é preciso ficar atento: pesquisa eleitoral pressupõe padrões legais definidos pelo TSE, sem os quais não tem validade e constitui crime. Ao receber mensagem para participação em enquetes ou “pesquisas”, devemos verificar se o seu proponente está autorizado a fazê-las. Enquetes são sumariamente proibidas e pesquisas só podem acontecer com anuência do TSE. Resultados mentirosos nas mãos de robôs destroem reputações e podem influenciar você, caro eleitor morrense, a concluir sobre seu voto em um projeto que não representa as demandas reais da comunidade. Somos homens e mulheres, inteligentes e conscientes, capazes de superar a produção de distorções e mentiras, que se tornam tão frequentes em palanques eleitorais. Para tanto, é importante buscar informação qualificada, conferindo as fontes dos dados que recebemos. Em uma eleição que será marcada pelas redes sociais ( Whatsapp, Instagram, Facebook, etc), devemos checar cada informação que passamos adiante. O registro de candidaturas, informações relativas a gastos de campanha e sobre o perfil dos candidatos, estarão disponíveis no site do TSE. Informe-se, pense e não robotize seu voto! A Matrix está em curso; mas não podemos aceitar sua violência e seu cinismo, nem entrar na sua dança. Não somos robôs e não vamos aceitar campanhas feitas por robôs!

[1] https://cartacampinas.com.br/202 O nome dele apareceu em 276.767 tuítes gerados artificialmente na rede desde 19 de setembro.0/04/faculdade-particular-usa-robo-para-corrigir-provas-e-dar-nota-aos-alunos/.

[2] Eu, Robô é um clássico do escritor russo Isaac Asimov; Cérebro Eletrônico é uma canção de um homônimo de Gilberto Gil.

[3] HARARI, Y. N. Homo Deus: uma breve história do amanhã. 1a. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

[4] Matrix(The Matrix) é um filme de 1999, dos gêneros ação e ficção científica, dirigido por Lilly e Lana Wachowski.

[5] https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/02/17/uso-de-robos-para-influenciar-eleicoes-esta-na-pauta-da-ccj.

[6] https://congressoemfoco.uol.com.br/eleicoes/bolsonaro-e-o-presidenciavel-mais-citado-por-robos-no-twitter-mostra-nova-ferramenta-do-congresso-em-foco/

[7] http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9504.htm.

Mestre em ensino de física - UEFS, professor da rede pública de ensino da Bahia e músico!

Veja Mais
1 Comment
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks

Política

‘A luta de professores por direitos’ foi o tema da AgendaMIC dessa semana

ENTENDA A ATUAL SITUAÇÃO DOS PROFESSORES QUE TIVERAM SEUS DIREITOS TIRADOS PELA PREFEITURA DE MORRO DO CHAPÉU.

Publicado

dia

A Luta dos Professores na Defesa dos Direitos foi o tema central da última edição da AgendaMIC, terça-feira, 23/03. O bate-papo virtual aconteceu a noite e foi transmitido na Live do Léo. Veja como foi a conversa assistindo o vídeo abaixo.

A 3ª edição da AgendaMIC na Live do Léo, apresentada por Welton Matos – autor da Agenda, convidou a Professora Lilian Maria, Coordenadora da APLBAssociação dos Professores Licenciados da Bahia que manifestou a sua insatisfação com a forma como os direitos da classe de professores estão sendo tirados mesmo que tenham sido conquistados com muita luta pela instituição que tem mais de 85 anos.

Lilian relembrou alguns momentos na trajetória de luta dos professores de Morro do Chapéu. Veja a seguir.

ENTENDA A ATUAL SITUAÇÃO DOS PROFESSORES QUE TIVERAM SEUS DIREITOS TIRADOS PELA PREFEITURA DE MORRO DO CHAPÉU.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE



—–O que está acontecendo com a classe de professores do Morro do Chapéu é o seguinte:

  • Em Janeiro circulavam boatos que a gestora iria mexer nos salários, pois segundo ela, ganhamos rios de dinheiro.
  • A APLB então solicitou reunião onde a gestora [Juliana Araújo, PL] garantiu que eram apenas boatos.
  • Não foi. [E o] pagamento de janeiro [veio] com desconto. Ao ser questionada mais uma vez, alegou que estávamos recebendo vantagem em cima de vantagem, gerando um efeito cascata.
  • Mais uma reunião foi feita: comissão do FUNDEB, advogados das duas partes, professor de matemática para mostrar os cálculos, e ela [Juliana] simplesmente irredutível continua com os descontos, não considerando a progressão da classe (calculando o salário atual pelo salário base de 11 anos atrás. Ao invés de calcular sobre nossas gratificações);
  • O plano de carreira do magistério está em vigor desde 2010, após incansáveis dias de lutas para aprovação… rasgado e jogado no lixo por uma gestora que parece desconhece-lo.
  • Em fevereiro e março [a] pressão sobre os funcionários em cargos comissionados, ordenando que não participassem dos movimentos ou compartilhassem nada referente a isso; inclusive saíssem do grupo da APLB;
  • Muitos funcionários públicos estão intimidados com a postura da atual gestão [Juliana Araújo, prefeita de Morro do Chapéu-BA]: perseguidora, autoritária, arrogante e desconhecedora dos direitos que regem a nossa lei”.

 – TEXTO DE AUTORIA DE ALGUNS PROFESSORES DO MUNICIPIO DE MORRO DO CHAPÉU publicado no facebook. —-

Na AgendaMIC:

16/03/2021: Inclusão Cultural em Ponta D’ Água“.

09/03/2021: Exclusão Cultural Resistência Quilombola“.

Veja Mais

ARQUIVO WM

1
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x