Connect with us

Política

José Serra é alvo de operação da Polícia Federal sobre caixa 2 nas eleições

Publicado

dia

Imagem/Divulgação: Google

A Polícia Federal (PF) cumpre, na manhã desta terça-feira (22/7), mais um desdobramento da Operação Lava-Jato e tem como alvo o senador José Serra (PSDB-SP). A investigação é sobre um suposto caixa 2 na campanha eleitoral do tucano ao Senado em 2014.

Determinados pela 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, são cumpridos quatro mandados de prisão temporária e 15 de busca e apreensão em São Paulo, Itatiba (SP), Itu (SP) e em Brasília, além do bloqueio judicial de contas bancárias dos investigados.

Segundo a PF, foi constatada a existência de indícios do recebimento por de doações eleitorais não contabilizadas por meio de operações financeiras e societárias simuladas, “visando assim ocultar a origem ilícita dos valores recebidos, cujo montante correspondeu à quantia de R$ 5 milhões.”

Ainda segundo a corporação, o inquérito policial contou com a “colaboração espontânea de pessoas que teriam sido contratadas no ano de 2014 para estruturar e operacionalizar os pagamentos de doações eleitorais não contabilizadas, efetuados supostamente a mando de acionista controlador de importante grupo empresarial do ramo da comercialização de planos de saúde.”

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE



No decorrer das investigações, a PF apurou ainda a existência de outros pagamentos, em quantias elevadas e realizados por grandes empresas, uma delas do setor de nutrição e outra do ramo da construção civil. Todos esses pagamentos seriam destinados a uma das empresas supostamente utilizadas por Serra para a ocultação do recebimento das doações.

23º Paralelo

A Operação foi denominada 23º Paralelo, em referência ao paralelo no 23° grau a sul do plano equatorial terrestre, onde fica localizada a cidade de São Paulo, local em que o grupo investigado teria praticado os crimes, bem como onde se desenvolve a maior parte das ações investigativas.

Os investigados responderão, na medida de participações, pelos crimes de associação criminosa, falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro. As penas vão de 3 a 10 anos de prisão, sem prejuízo de responderem por outros crimes que possam ser descobertos ao longo da investigação.

Fonte

Veja Mais
Clique para comentar
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks

Política

‘A luta de professores por direitos’ foi o tema da AgendaMIC dessa semana

ENTENDA A ATUAL SITUAÇÃO DOS PROFESSORES QUE TIVERAM SEUS DIREITOS TIRADOS PELA PREFEITURA DE MORRO DO CHAPÉU.

Publicado

dia

A Luta dos Professores na Defesa dos Direitos foi o tema central da última edição da AgendaMIC, terça-feira, 23/03. O bate-papo virtual aconteceu a noite e foi transmitido na Live do Léo. Veja como foi a conversa assistindo o vídeo abaixo.

A 3ª edição da AgendaMIC na Live do Léo, apresentada por Welton Matos – autor da Agenda, convidou a Professora Lilian Maria, Coordenadora da APLBAssociação dos Professores Licenciados da Bahia que manifestou a sua insatisfação com a forma como os direitos da classe de professores estão sendo tirados mesmo que tenham sido conquistados com muita luta pela instituição que tem mais de 85 anos.

Lilian relembrou alguns momentos na trajetória de luta dos professores de Morro do Chapéu. Veja a seguir.

ENTENDA A ATUAL SITUAÇÃO DOS PROFESSORES QUE TIVERAM SEUS DIREITOS TIRADOS PELA PREFEITURA DE MORRO DO CHAPÉU.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE



—–O que está acontecendo com a classe de professores do Morro do Chapéu é o seguinte:

  • Em Janeiro circulavam boatos que a gestora iria mexer nos salários, pois segundo ela, ganhamos rios de dinheiro.
  • A APLB então solicitou reunião onde a gestora [Juliana Araújo, PL] garantiu que eram apenas boatos.
  • Não foi. [E o] pagamento de janeiro [veio] com desconto. Ao ser questionada mais uma vez, alegou que estávamos recebendo vantagem em cima de vantagem, gerando um efeito cascata.
  • Mais uma reunião foi feita: comissão do FUNDEB, advogados das duas partes, professor de matemática para mostrar os cálculos, e ela [Juliana] simplesmente irredutível continua com os descontos, não considerando a progressão da classe (calculando o salário atual pelo salário base de 11 anos atrás. Ao invés de calcular sobre nossas gratificações);
  • O plano de carreira do magistério está em vigor desde 2010, após incansáveis dias de lutas para aprovação… rasgado e jogado no lixo por uma gestora que parece desconhece-lo.
  • Em fevereiro e março [a] pressão sobre os funcionários em cargos comissionados, ordenando que não participassem dos movimentos ou compartilhassem nada referente a isso; inclusive saíssem do grupo da APLB;
  • Muitos funcionários públicos estão intimidados com a postura da atual gestão [Juliana Araújo, prefeita de Morro do Chapéu-BA]: perseguidora, autoritária, arrogante e desconhecedora dos direitos que regem a nossa lei”.

 – TEXTO DE AUTORIA DE ALGUNS PROFESSORES DO MUNICIPIO DE MORRO DO CHAPÉU publicado no facebook. —-

Na AgendaMIC:

16/03/2021: Inclusão Cultural em Ponta D’ Água“.

09/03/2021: Exclusão Cultural Resistência Quilombola“.

Veja Mais

ARQUIVO WM

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x